top of page
  • Foto do escritorCAUÊ OLIVEIRA

Cultura de aprendizagem contínua na organização: como desenvolver esse ponto?



A cultura de aprendizagem é uma necessidade nas empresas atuais, não é mesmo? Afinal, todas as mudanças no mercado e a evolução do conhecimento, métodos e padrões sociais são estímulos que exigem respostas das pessoas que fazem parte da organização.


Essas respostas dependem de como atualizamos e renovamos nossas competências e experiências para lidar com novos contextos. Por isso, a aprendizagem contínua é uma demanda, tanto para lideranças, como para equipes atualmente.


E, ofertar uma cultura de aprendizagem contínua é uma forma eficiente de incentivar a adaptação às mudanças e manter a empresa preparada para novos desafios. Entenda como ela ajuda as organizações e receba dicas para colocá-la em prática!


Mas afinal, o que é uma cultura de aprendizagem contínua?


Na cultura da aprendizagem contínua, as pessoas estão em constante atualização e renovação de conhecimentos, habilidades, atitudes e formas de avaliar as situações. Logo, abraçam a mudança como uma oportunidade, crescendo para alcançar os objetivos da empresa.


Para que isso ocorra, as vulnerabilidades passam a ser assumidas e reconhecidas por lideranças e equipes. Quem está à frente do time, por exemplo, sabe que não conhece tudo e entende que nem sempre estará preparado para lidar com as situações.


Entretanto, em vez de se ficar paralisado com a situação, existe uma atitude proativa de buscar novas competências e experiências. Pesquisar, estudar, aprender, escutar, experimentar, tudo isso se torna parte do processo, tendo em vista que reconhecemos nossas vulnerabilidades diante das mudanças.


Além disso, a cultura de aprendizagem contínua trabalha a mentalidade de crescimento. As competências deixam de ser vistas como dons, passando a ser enxergadas como passíveis de desenvolvimento. A própria formação de lideranças é beneficiada com essa ideia, tendo em vista ser uma competência que pode ser desenvolvida por qualquer pessoa.


Nesse processo, as capacitações, especializações, faculdades, etc., são importantes na cultura de aprendizagem. Contudo, também veremos pessoas em busca de leituras, podcasts, vídeos, troca de informações com colegas, observação e outras formas de aprender. É uma cultura de aprender por meios formais e informais.


Por que isso é importante para as empresas?

Ter a aprendizagem contínua enraizada nas pessoas será fundamental para superar os desafios das empresas nos ambientes de negócios atuais. É um modelo que ajuda o negócio a sobreviver e crescer por diferentes razões.


Promover a inovação

Atualizar e renovar os conhecimentos é uma das medidas para que surjam novas ideias nas equipes. Além disso, lideranças podem aprender a incentivar a iniciativa, criatividade, colaboração, experimentação e outros aspectos relevantes para promover a inovação.


Tornar a empresa mais ágil e adaptável

As equipes também passam a ter mais repertório e desenvolvem a capacidade de buscar novos conhecimentos para enfrentar desafios. O mundo de hoje pode trazer questões não apenas complexas, mas mutáveis. Por isso, essa flexibilidade para responder às transformações é um diferencial.


Lidar com a escassez de talentos

A cultura de aprendizagem cria oportunidades de desenvolvimento e faz com que a organização não dependa apenas da contratação externa para aumentar suas competências e experiências. Aliás, em um cenário em que é difícil contratar pessoas com os conhecimentos e habilidades desejadas, ela será ainda mais importante.


Atrair talentos para a organização

As oportunidades de crescimento são bastante desejáveis para atração de pessoas mais qualificadas. Igualmente, dão uma razão para os integrantes das equipes desempenharem bem seus papéis e querem permanecer na empresa. Por isso, muitos indicadores de RH, como produtividade, atração e permanência, são favorecidos por esse modelo cultural.


Qual é a relação entre cultura de aprendizagem e lifelong learning?


Um elemento que precisa estar incorporado em uma cultura de aprendizagem é o lifelong learning. Nele, deixamos de entender o aprendizado como uma fase da vida, como a escola, a faculdade e a pós-graduação, assumindo o papel de aprender sempre. Essa mentalidade separa a aprendizagem contínua em quatro pilares.


Aprender a conhecer

O primeiro pilar é a iniciativa de se informar e conhecer as coisas. Movida pela curiosidade ou necessidade, a pessoa investiga, pesquisa, estuda, buscando sempre novos saberes que possam ser agregados à vida pessoal e profissional.


Aprender a fazer

Aprender a fazer é a dimensão de colocar em prática o conhecimento adquirido. É algo que ajuda não apenas a memorização e aperfeiçoamento, porque somente aplicando o conhecimento produzirá mudanças no mundo real.


Aprender a conviver

Também existe atenção aos relacionamentos humanos, que são fundamentais tanto no trabalho, como na vida pessoal. Aqui, as soft skills ganham importância, e a pessoa busca desenvolver sua capacidade de pertencer e contribuir com um grupo.


Aprender a ser

O crescimento pessoal é o quarto pilar do lifelong learning. Ter autonomia, ser autodidata, saber gerenciar as emoções e diversos outros aspectos podem ser desenvolvidos na aprendizagem contínua.


Como proporcionar a cultura de aprendizagem na organização?


A aprendizagem contínua pode ser uma iniciativa das pessoas que trabalham na empresa ou da própria organização. Os comportamentos individuais e organizacionais, nesse caso, se complementam, e a gestão de pessoas precisa criar condições para que ele se desenvolva na empresa. Confira iniciativas para colocar esta cultura em prática.


Invista em treinamento e desenvolvimento

As capacitações são um excelente caminho para a empresa dar suporte à aprendizagem contínua.

É importante cuidar não apenas das necessidades imediatas do cargo, mas tentar realizar o potencial de cada pessoa no longo prazo. Por isso, além dos treinamentos, os planos de desenvolvimento individual são fundamentais, pois auxiliam o crescimento em toda a jornada na empresa.


Reconheça a aprendizagem

O desenvolvimento de novas competências e experiências deve ser reconhecido. A gestão por competências, por exemplo, é uma boa medida para incentivar a aprendizagem contínua, pois os conhecimentos e habilidades se tornam critérios mais relevantes em:

  • promoções funcionais

  • programas de benefícios;

  • avaliações de desempenho.

Conceda feedbacks para os colaboradores

O feedback, comum em momentos de one a one, pode ajudar a valorizar o aprendizado com retornos positivos diante da evolução dos integrantes das equipes.

Durante todo o processo de desenvolvimento, é uma ferramenta para direcionar os esforços, indicando-se mais claramente quais são os pontos de melhoria que precisam ser priorizados.


Use a tecnologia como ferramenta de aprendizagem

A tecnologia facilita a promoção de uma cultura de aprendizagem. Em diversos pontos, soluções digitais vão permitir mais personalização durante o processo de desenvolvimento, além de simplificar o acompanhamento da pessoa.


Adote ferramentas de análise de dados

A tecnologia pode ser usada para identificar as lacunas de desempenho e potenciais ainda não realizados nas pessoas. Isso pode ser feito tanto com os dados coletados em avaliação de desempenho, como durante o processo de desenvolvimento, ou em testes e provas sobre os conteúdos oferecidos.


Crie jornadas personalizadas


Outra vantagem da tecnologia é a possibilidade de distribuir conteúdos diferentes para cada pessoa, via soluções de educação a distância.

Com isso, cada pessoa segue a jornada mais adequada aos seus pontos fortes e fracos, em vez de todos receberem as mesmas aulas, materiais e tarefas.

É possível criar essa jornada com empresas como a Youleader Brasil, do ecossistema GPTW especialista em desenvolvimento de lideranças. As soluções são pensadas de acordo com a necessidade de cada organização, gerando trilhas únicas de aprendizagem para cada organização.


Alie teoria e prática

Também é importante que os conteúdos oferecidos estejam conectados à realidade do ambiente de trabalho. Estudar um assunto e aplicar imediatamente no trabalho, aprender o conteúdo teórico sobre uma questão vivenciada na empresa, realizar testes e tarefas simuladas, fazer estudos de casos são exemplos de como unir teoria e prática.


Acompanhe o processo de perto

Acompanhar a evolução do desenvolvimento é uma etapa essencial. A partir dela é possível entender como as pessoas estão caminhando e se o investimento em capacitações é o suficiente.

Para essa etapa, pense em medidas, como:

  • análise de dados;

  • jornadas personalizadas;

  • distribuição de conteúdo digital;

  • demais soluções de inovação.

Para tirar dúvidas sobre o tema, entenda como funciona a educação corporativa e descubra como a empresa pode oferecer serviços voltados para o desenvolvimento de pessoas!

2 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page